BCAA = Branched-Chain AminoAcids

BCAA são os Aminoácidos Essenciais de Cadeia Ramificada – AACR: Leucina, Isoleucina e Valina
Aminoácidos Essenciais = são aminoácidos (AA) que precisamos consumir diariamente, pois nosso corpo não tem a capacidade de sintetizar, então devemos ingerir estes na dieta para manter o equilíbrio do corpo.

Representam aproximadamente um terço do total de aminoácidos presentes na musculatura!

Necessidade diária dos BCAA:
10 a 28mg/kg/dia.
Informação importante:
AA aromáticos (triptofano, tirosina e fenilalanina): precursores dos neurotransmissores: serotonina, dopamina e nore-epinefrina

Funções:

1. Precursores:
Glutamato no cérebro – neurotransmissor excitatório em receptores n-metil-d-aspartato (NMDA)
Glutamina nos músculos – servem para manutenção de glutamina e parecem efetivamente fortalecer a função imunológica.
Alanina – Está relacionado ao metabolismo da glicose. É importante para a preservação da massa muscular, contra o seu catabolismo.
2. Fonte de energia para os músculos esqueléticos:
A oxidação dos AACR no músculo esquelético não é dependente do fígado.
O fígado também consegue oxidar os BCAA’s mas para isso são necessárias algumas reações químicas antes.
3. Evita a fadiga central:
Durante o exercício esse tipo de fadigo é causada pela elevada entrada de triptofano (aminoácido precursor de serotonina) no cérebro, o que é bom quando queremos relaxar, mas durante o exercício NÃO!
O aumento de triptofano entrando no cérebro ocorre pela diminuição de BCAA na corrente sangüínea, já que esses estão sendo usados como fonte de energia.
Os AACR e o triptofano são aminoácidos neutros que competem na barreira hematoencefálica, logo aquele que estiver em maior concentração é transportado para dentro do cérebro.

4. Síntese muscular:
Os aminoácidos de cadeia ramificada estimulam a síntese da proteína muscular para o desenvolvimento da massa magra. Liberam o glicogênio hepático e muscular para o melhor desempenho e resistência nos exercícios.
5. Exercem efeito anticatabólico:
Servemcomo fonte energética durante exercícios prolongados quando as reservas do glicogênio são esgotadas. A ingestão conjunta de AACR e carboidratos diminuiria a degradação muscular durante o exercício minimizando o catabolismo por aumento da oferta de substratos energéticos.

LEUCINA
Componente importante dos BCAA!
A leucina estimula a hipertrofia muscular:
Via mTOR que estimula a síntese protéica via DNA:
O aumento intracelular da leucina promove ativação da mTOR (mammalian Target of Rapamycin) que inibe a autofagia e estimula a Transcrição, Translação do RNAm, Biossíntese dos ribossomos, Proliferação celular, Organização Citoesquelética, tudo para favorecer o crescimento celular = estímulo de síntese de proteínas!

Via insulina:
Estimula a liberação de insulina pelo pâncreas;
Age em sinergia com a insulina, que é um hormônio anabólico, no processo de estímulo de síntese protéica. A leucina auxilia a insulina a iniciar a síntese protéica, ou seja, a insulina é o ativador para a síntese e a leucina é o sinal para início da translação.

BCAA X Fenilcetonúria
A fenilcetonúria é uma doença caracterizada pela deficiência inata de enzimas que convertem o aminoácido fenilalanina em tirosina. Essa deficiência acarreta no aumento dos níveis de fenilalanina no sangue o que pode causar problemas neurológicos.
Como a fenilalanina utiliza o mesmo transportador dos BCAA para ultrapassar a barreira hematoencefálica, a hipótese é que altos níveis dos BCAA reduziria a entrada de fenilalanina no cérebro o que reduziria danos neurológicos.

MAS, é necessário mais estudos para a utilização da suplementação de BCAA nesses casos!!!!

BCAA X detoxificação:
Detoxificação: é a eliminação de substâncias tóxicas do corpo através da ação conjunta do fígado, vesícula biliar, intestino e rins.

Os BCAA participam da fase I de desintoxificação.

BCAA X Hepatopatas:
Como os AACR são independentes do fígado para serem utilizados como fonte energética, esses são usados na área clínica em pacientes com problemas no fígado para minimizar o trabalho desse órgão e garantir energia para a musculatura do paciente.
Contra-indicação:

Altas doses interferem com o transporte de outros aminoácidos, tais como o triptofano ao cérebro o que pode não ser bom algumas vezes;
Devido a esse fato qualquer pessoa que seja particularmente propensa a depressão, flutuações de humor, ansiedade ou desordens compulsivo-obssesivas, deve consultar um médico antes de suplementar com BCAA e ficar alerta para qualquer piora dos sintomas.

Participe do nosso canal no you tube !